Imprimir
SISTEMA ANTIEVAPORAÇÃO

Seguindo as normas do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente), a FIAT AUTOMÓVEIS adotou nos veículos a gasolina de sua fabricação um sistema para reduzir as emissões dos vapores de combustível nocivos à saúde.
Neste sistema estão incluídos o circuito de alimentação, circuito de controle de saída de vapores de gasolina do reservatório de combustível e circuito de aproveitamento de gases formados no bloco do motor.
É importante lembrar que o circuito de aproveitamento de gases do bloco do motor já existe nos veículos FIAT desde 1976 e o controle das emissões no circuito de alimentação também já existia desde os veículos 89, sendo porém adequado nos modelos 90, segundo as especificações do CONAMA.

CIRCUITO DE SAÍDA DOS VAPORES DE GASOLINA DO RESERVATÓRIO DE
COMBUSTÍVEL

Este circuito visa controlar a vazão dos vapores de combustível do reservatório, não permitindo que os mesmos atinjam a atmosfera.

CIRCUITO DE SAÍDA DE VAPORES DE GASOLINA DO RESERV. DE COMBUSTÍVEL





FUNCIONAMENTO DOS COMPONENTES

Separador de vapor de Combustível

Os vapores de combustível provenientes do reservatório entram no separador de vapor pelas três conexões (1) e passam pelos discos cônicos que possuem pequenos furos (3). Nos discos, parte do vapor se condensa e as gotas de combustível retornam ao reservatório, por gravidade, pelos mesmos tubos que enviam o vapor. O vapor remanescente sai pelo conduto central (4) e vai em direção à válvula de ventilação.


VÁLVULA DE VENTILAÇÃO

Sua função é controlar o fluxo de vapores do reservatório de combustível para o caníster e vice-versa. Quando existe uma pressão no sistema (lado reservatório) superior a 29,4 a 53,9 hPA (29,4 a 53,9 mbar), o disco (1) pressiona o corpo (2), vence a carga da mola (3) e abre a passagem dos vapores (conforme indicado pelas setas) para que os mesmos possam ir para o caníster (Fig. G).
Caso haja uma depressão no reservatório o disco, vencendo a carga da mola (4), abre o furo de passagem de ar proveniente do caníster para o reservatório de combustível (Fig. H).


ATENÇÃO: foi adotada uma faixa vermelha nos tubos rígidos de vapor de combustível para determinar o limite mínimo de introdução nas respectivas conexões com os tubos flexíveis.

Chassi: Uno, Prêmio, Elba: a partir 3718701 (06/06/91)
Comerciais: a partir 8194907(06/06/91)

Nos veículos cujos tubos rígidos não tenham a faixa vermelha, fazer com que estes penetrem nos tubos flexíveis, aproximadamente 25 mm medidos após a nervura do mesmo.


FILTRO DE VAPOR DE COMBUSTÍVEL-CANISTER

Sua principal função é filtrar os vapores de gasolina, separando-os do ar que será lançado a atmosfera (Fig. I). É constituído de grãos de carvão ativado (4) que retém os vapores de combustível que entram pela conexão (5). Quando o motor está sendo acelerado, o ar aquecido proveniente do compartimento do mesmo, entra pelo respiro (2) atravessando o filtro de espuma (3) e passa pelos grãos de carvão ativado indo até a conexão (1) ocorrendo a regeneração do filtro.

NOTA
O ar entra pelo respiro (2) pode também ser diferenciado para a conexão (5) quando há depressão no reservatório de combustível.

A divisão (6) assegura que o ar proveniente do vão do motor passe por todo carvão ativado, dirigindo-o, fazendo que todo o filtro seja regenerado.

As molas (7) tem a função de permitir uma dilatação dos grãos quando a pressão interna entre eles aumenta.


VÁLVULA INTERCEPTADORA DE VAPORES

Sua função é de interceptar o fluxo de vapores de gasolina em algumas condições de funcionamento do sistema para impedir um excessivo enriquecimento da mistura.
A válvula é comandada pela depressão proporcionada pelo venturi através da posição da abertura da borboleta do carburador.

Com o motor desligado ou em regime de marcha lenta não há depressão circuito.

Com isso a mola (2) pressiona a membrana (3) impedindo a passagem dos vapores pela válvula (Fig. J).

Com a abertura da borboleta do carburador, a depressão puxa a membrana, vencendo a carga da mola, permitindo a passagem dos vapores do filtro de vapor (canister) para o coletor de admissão (Fig. L)


SEPARADOR DE VAPOR


VÁLVULA DE SEGURANÇA


VÁLVULA INTERCEPTADORA DE VAPORES


SISTEMA ANTIEVAPORATIVO

Modelos: Uno com motorização 994cc electronic

Informamos que foi adotado no sistema anti-evaporativo dos veículos em referência, a partir, do chassi 5247084/8362691, um segundo filtro de retenção de partículas por melhoria de qualidade.

Chamamos a atenção para quando da passagem dos veículos em referência, com chassis inferiores a 5247084/8362691, verificar a existência do 2º filtro de retenção de partículas, efetuar a seguinte intervenção:

- Soltar o tubo da válvula delay(de ligação do coletor à válvula Ford).
- Retirar os parafusos de fixação do suporte do canister ao suporte do coxim lateral lado caixa de mudanças.
- Retirar o tubo de ligação do filtro de vapor ao carburador 7523493.
- Separar o tubo rígido da mangueira de borracha do tubo de ligação do filtro de vapor ao carburador e cortar 90mm na extremidade do tubo rígido.





O princípio de funcionamento do sistema anti-evaporativo dos veículos MILLE ELECTRONIC é o mesmo utilizado nos veículos UNO/PREMIO/ELBA/FIORINO até modelos 92.

Porém o sistema, que também está sendo adotado para veículos modelo 93, possui uma diferença quanto a eliminação da parte condensada de combustível que não pode ir para o canister.

Para isto o sistema utiliza uma VÁLVULA COM FLUTUADOR que têm a mesma função do ELIMINADOR DE VAPOR que fica na parte lateral traseira esquerda do veículo.
SISTEMA ANTIEVAPORATIVO-TUBULAÇÕES


VÁLVULA COM FLUTUADOR

Esta válvula está localizada junto ao bocal de abastecimento do reservatório de combustível.

Portanto o reservatório não possui os três tubos para captação de vapores no reservatório.
Esta válvula tem função de permitir somente a passagem de vapores de combustível para o filtro de vapor(canister) evitando que a parte condensada o atinja.

Funcionamento:

Quando os vapores de combustível atintem a válvula passam através dos orifícios (3) e (4) e seguem através da folga entre os flutuados e o corpo da válvula até atingirem o tubo que os direciona para o canister - (fig. A).

No caso de combustível (líquido) atingir a válvula, ele fará com que o flutuador 1, ajudado pela mola 2, bloqueie a passagem para o filtro de vapor(canister) e consequentemente o atinja - (fig. B).

SISTEMA ANTIEVAPORAÇÃO

Seguindo as normas do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente), a FIAT
AUTOMÓVEIS adotou nos veículos a gasolina de sua fabricação um sistema para reduzir as emissões dos vapores de combustível nocivos à saúde.
Neste sistema estão incluídos o circuito de alimentação, circuito de controle de saída de vapores de gasolina do reservatório de combustível e circuito de aproveitamento de gases formados no bloco do motor.
É importante lembrar que o circuito de aproveitamento de gases do bloco do motor já existe nos veículos FIAT desde 1976 e o controle das emissões no circuito de alimentação também já existia desde os veículos 89, sendo porém adequado nos modelos 90, segundo as especificações do CONAMA.

CIRCUITO DE SAÍDA DOS VAPORES DE GASOLINA DO RESERVATÓRIO DE
COMBUSTÍVEL

Este circuito visa controlar a vazão dos vapores de combustível do reservatório, não
permitindo que os mesmos atinjam a atmosfera.






FUNCIONAMENTO DOS COMPONENTES

Separador de vapor de Combustível

Os vapores de combustível provenientes do reservatório entram no separador de vapor pelas três conexões (1) e passam pelos discos cônicos que possuem pequenos furos (3). Nos discos, parte do vapor se condensa e as gotas de combustível retornam ao reservatório, por gravidade, pelos mesmos tubos que enviam o vapor. O vapor remanescente sai pelo conduto central (4) e vai em direção à válvula de ventilação.


Válvula de Ventilação

Sua função é controlar o fluxo de vapores do reservatório de combustível para o caníster e vice-versa. Quando existe uma pressão no sistema (lado reservatório) superior a 29,4 a 53,9 hPA (29,4 a 53,9 mbar), o disco (1) pressiona o corpo (2), vence a carga da mola (3) e abre a passagem dos vapores (conforme indicado pelas setas) para que os mesmos possam ir para o caníster (Fig. G).
Caso haja uma depressão no reservatório o disco, vencendo a carga da mola (4), abre o furo de passagem de ar proveniente do caníster para o reservatório de combustível (Fig. H).


ATENÇÃO: foi adotada uma faixa vermelha nos tubos rígidos de vapor de combustível para determinar o limite mínimo de introdução nas respectivas conexões com os tubos flexíveis.

Chassi: Uno, Prêmio, Elba: a partir 3718701 (06/06/91)
Comerciais: a partir 8194907(06/06/91)

Nos veículos cujos tubos rígidos não tenham a faixa vermelha, fazer com que estes penetrem nos tubos flexíveis, aproximadamente 25 mm medidos após a nervura do mesmo.