Imprimir
SEMI-ÁRVORE DE TRANSMISSÃO - DESCRIÇÃO

As semi-árvores de transmissão constituem, juntamente com as juntas
homocinéticas e a árvore intermediária, o conjunto de dispositivos que transmitem o movimento do câmbio às rodas motrizes.

O conjunto destes dispositivos, juntamente com o câmbio, é comumente chamado de transmissão, e é constituído de:
- semi-árvores direita e esquerda;
- juntas homocinéticas do lado do câmbio e do lado da roda;
- árvore intermediária.

As semi-árvores (6), feitas em de aço de elevada rigidez, possuem extremidades estriadas a fim de permitir o acoplamento com as juntas homocinéticas (1) e (5).
Nas extremidades existem as sedes para os anéis elásticos (2) de retenção das próprias juntas.

As juntas homocinéticas são constituídas de um núcleo interno (1d) chamado
"condutor", encaixado na árvore de entrada, e por uma capa externa (1a) chamada "conduzida, qual constitui o elemento de saída da junta.O núcleo interno, possui em sua superfície externa seis canaletas esféricas nas quais se encontram outras tantas esferas (1b), mantidas na sede por uma gaiola de contenção (1c).

Estas esferas, que constituem o verdadeiro elemento de transmissão do movimento, são contemporaneamente alojadas em outras canaletas existentes na superfície
interna da capa.

A semi-árvore esquerda possui uma massa amortecedora de vibrações (8) constituída por duas semi-capas e um coxim de borracha (9) para o posicionamento.


A árvore intermediária, que possui também extremidades estriadas feitas como as semi-árvores, em aço de elevada rigidez, tem a função de ligar a saída do diferencial com a semi-árvore na qual está ligada por meio de um flange.

Com esta finalidade, para limitar o balanço entre os pontos de fixação, a árvore intermediária é suportada por uma sede adequadamente existente na caixa do câmbio.
1 - Chapa de retenção do rolamento
2 - Rolamento de esferas
3 - Arruela elástica
4 - Anel elástico de retenção do rolamento
5 - encosto do rolamento